Cessam ataques em Pouso Alegre, mas onda de terror continua em Minas


30 cidades já foram alvos de atentados desde o último domingo: facção criminosa estaria coordenando atos por condições de seus membros nos presídios mineiros (imagem: redes sociais)

A quarta-feira (06) em Pouso Alegre começou com a morte de um foragido da justiça, que trocou tiros com as autoridades durante operação policial de captura no bairro Jardim Olímpico. Não se sabe ao certo se a vítima tem alguma ligação com os atentados dos últimos dias no Estado, mas, desde segunda-feira, o município não registra novas ocorrências de ataques e vandalismo. Ainda assim, nesta quarta-feira (06), as escoltas e policiais embarcados em ônibus, principais alvos dos criminosos, prosseguiram.

Outras cidades do Estado, porém, seguem registrando atos de vandalismo e ataques criminosos. Os atentados já atingiram 30 municípios, 18 deles no Sul de Minas. Fica cada vez mais evidente que se trata de uma ação coordenada a mando de uma organização criminosa tentáculos em todo o território nacional. A facção criminosa estaria insatisfeita com a pressão exercida sobre seus membros nos presídios mineiros.

O governador Fernando Pimentel (PT) afirmou que o Estado paga o preço por ter um sistema prisional mais rigoroso que o restante do país, mas, segundo ele, não haverá recuo. "Não vamos transigir com nossa política carcerária", avisou.

As forças de segurança do Estado vêm atuando com duas estratégias na tentativa de fazer cessar os atentados. Em uma das frentes, há o empenho de todo o efetivo policial na contenção dos ataques, com PMs à paisana nos ônibus das cidades mais visadas. Na outra ponta, está sendo estudada a transferência de presidiários de outros estados integrantes de facções criminosas para o sistema federal.

As polícias Militar e Civil, com o apoio da Polícia Federal, investigam a origem dos crimes, mas mantêm as apurações em sigilo. Já foram detidas 47 pessoas em todo o Estado suspeitas de participarem da onda de terror.

Na região

No Sul de Minas, Cambuí, Santa Rita do Sapucaí, São Lourenço, São Bento Abade, Alfenas e Lavras registraram ocorrências nesta terça-e quarta-feira.

Em São Bento Abade, por volta das 21h de ontem, dois ônibus que faziam transporte de estudantes foram queimados no pátio de uma escola na Rua João Vilela Rezende, centro da cidade. Um taxista de 41 anos, já conhecido da polícia, foi preso suspeito de envolvimento nos crimes. Também na noite de ontem, outro ônibus foi incendiado em São Lourenço, no bairro Carioca. Em Lavras, o alvo dos incêndios criminosos foi um posto da Polícia Militar, na Praça Doutor José Esteves, na zona norte do município. Lá o ataque ocorreu por volta das 23h.

Em Cambuí, já eram 2h desta quarta-feira, quando dois coquetéis motovs foram lançados contra uma agência do Banco do Brasil. Uma das garrafas atingiu a fachada e a outra caiu perto da porta giratória na parte interna. Uma agência, desta vez da Caixa Econômica Federal, também foi alvo de tentativa de incêndio em Alfenas O ataque também ocorreu na madrugada de hoje.

Outro incêndio criminoso ocorreu em Santa Rita do Sapucaí. O alvo foi o almoxarifado da Copasa. Segundo testemunhas, uma garrafa pet com restos de gasolina foi encontrada no local. Os bombeiros foram acionados e fizeram combate das chamas.

#DiaaDia #Cidade

Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com