• Adevanir Vaz

Em estreia do Mineiro, PAFC fica só no empate com o Athletic


PAFC estreia na Segundona do Mineiro no Manduzão (Foto: Luana Oliveira)

Atualizado às 20h03

Não foi a estreia que o PAFC gostaria. Fora do campo, o time não pode contar com o apoio da torcida, já que um laudo da Polícia Militar não liberou as arquibancadas do Manduzão para a partida que marcou a volta do clube a uma competição oficial. Dentro das quatro linhas, em uma partida irregular, a equipe ficou no empate em 1 a 1 com o Athletic de São João Del Rei.

Para o técnico Marcelo Albino, o time não apresentou seu melhor rendimento, mas diante de uma equipe como o Athletic, que para ele está entre as melhores da competição, o desempenho não chegou a ser ruim. "Nossa equipe sentiu um pouco a estreia. Como não conseguimos a vitória em casa, vamos ter que buscar fora, agora, mas é tranquilo. A competição está apenas iniciando. Já sabíamos que seria uma competição bem equilibrada e o Athletic a gente sabe que investiu bastante também. É uma das equipes que vai brigar junto conosco também para uma das quatro vagas para a próxima fase", avaliou o treinador.

Próximo confronto

Na segunda rodada do Mineiro, no próximo domingo (12), o PAFC vai a Sete Lagoas, onde enfrenta o União Luziense na Arena do Jacaré. Ao todo, 13 equipes disputam a competição. Na primeira fase, elas jogam entre si em turno único. Classificam-se para as semifinais as quatro melhores colocadas. Com uma peneira tão estreita, é importante para o PAFC vencer o próximo confronto para seguir na cola dos líderes.

O jogo O PAFC começou melhor. Algumas boas triangulações surgiram já no início do jogo. A assertividade do Pousão foi premiada logo aos 5 minutos com o gol do meia Clebson, que aproveitou um bom cruzamento para desviar no canto direito de Jeferson. O goleiro do Atlhetic se esticou todo, mas foi vencido pelo belo cabeceio do meia. A partir daí, o Pousão conseguiu impor seu jogo. Suas investidas eram lideradas pelo autor do gol, que prendia a bola no campo de ataque e dava fôlego às jogadas de maior perigo. De seu lado, o Atlhetic assustava especialmente no contra-ataque. Em uma das subidas da equipe de São João Dele Rei, Leandrão precisou fazer duas grandes defesas, quando o atacante Ademilson, uma das estrelas do elenco, saiu cara a cara com a meta pouso-alegrense. O atacante de 43 anos, no entanto, acabou bem anulado pelo goleiro, que fechou seu ângulo e bloqueou o chute e o rebote do jogador. Nos 15 minutos finais da primeira etapa, a partida se equilibrou e as duas equipes pouco produziram além de alguns lances isolados. Ainda assim, o Pousão, por pouco, não ampliou com mais um belo lance de Clebson. Ele avançou pela ponta esquerda ofensiva e tentou um toque de efeito para encobrir Jeferson. A bola saiu pelo lado esquerdo do gol, sem maior perigo. Atlhetic volta melhor para o segundo tempo A equipe de São João Del Rei voltou melhor para a segunda etapa. Pressionou o PAFC até conseguir o empate, que saiu aos 15 minutos dos pés de Pedro Henrique. O camisa 7 concluiu uma excelente triangulação do Atlhetic, que conseguiu invadir a área do Pousão e deixar o atacante em boas condições para concluir no canto direito de Leandrão. A superioridade do Athletic se manteve por boa parte do segundo tempo. A pressão continuou com boas subidas de seu trio ofensivo. Em um lance duvidoso, depois de nova triangulação dentro da área do Dragão, Ademilson caiu na área e pediu pênalti. O juiz mandou o lance seguir.

Na reta final do jogo, o PAFC voltou a equilibrar o jogo. Dois avanços do ataque levaram perigo nos 10 minutos finais. O primeiro resultou de belo chute de Guilherme, que, do bico da área, buscou o canto direito de Jeferson. Bem posicionado, porém, o goleiro do Athletic conseguiu espalmar para a linha de fundo. No ataque seguinte, foi a vez de Clebson tentar novo chute, também da meia esquerda ofensiva. Mas a tentativa saiu rasteira, no cento do gol. A bola foi encaixada com facilidade por Jeferson.

O Athletic ainda conseguiu uma falta perigosa contra o PAFC, quando o zagueiro Davy derrubou o meia Arilson. Mas o camisa 6, Adriano Rafael, cobrou sem perigo, por cima do gol de Leandrão.

Equipes voltam às competições oficiais depois de longo tempo

Além do equilíbrio mostrado em campo, com duas equipes técnicas, o PAFC e o Athletic têm mais em comum: ambos os times retornam à atividade profissional depois de um longo hiato. O PACF faz sua reestreia depois de 9 anos. Já o Athletic enfrentou um período ainda maior longe dos gramados: foram 49 anos. Assim como o Dragão, a equipe tem planos ousados e fez um investimento considerável para voltar à elite do futebol mineiro.

Torcida faz barulho fora do estádio

Com a não liberação das arquibancadas do Manduzão para a partida, laudo da PM reprovou o estádio, os portões ficaram fechados durante o jogo. Nada que impedisse a festa da torcida que cantou e batucou durante por mais de duas horas, antes e depois da partida. O barulho dos tambores e o canto das organizadas que seguem o Dragão era ouvido em alto e bom som dentro do estádio.

Correção: 1. Na segunda rodada do Mineiro, o PAFC vai a Sete Lagoas enfrentar o União Luziense e não a Santa Luzia. 2. Quem tentou a jogada por cobertura no final do 1º tempo foi o meia Clebson e não o jogador Lê, como informado anteriormente. As informações já foram corrigidas no texto.

#Esporte

Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com