• Adevanir Vaz

Dragão goleia e torcida faz a festa no Manduzão


Depois de volta avassaladora para o segundo tempo, o PAFC atropelou o Minas Boca

Se o esperado reencontro do PAFC com sua torcida no último fim de semana no Manduzão tinha deixado um gostinho amargo pela derrota de 2 a 0 para o Valério, o time saldou sua dívida com sobras neste sábado (25). Em mais uma tarde de excelente público no Manduzão, brindou os torcedores com uma goleada sobre o Minas Boca. Bateu o time de Sete Lagoas por 5 a 0, com gols de Alemão (4 min; 2º), Pedrinho (13 min. 2º), Clebson (24 min; 2º), Catatau (38 min 2º) e Rafael (47 min 2º).

Com o resultado, o PAFC chegou a 8 pontos e voltou a ocupar o G4, grupo de times que se classifica para a próxima fase da competição. Mas para manter posição ao final da 5ª rodada da Segundona do Mineiro vai ter que torcer contra o Montes Claros, que enfrenta a Ponte Nova, penúltima da competição, na segunda-feira (27), podendo chegar a 9 pontos em caso de triunfo.

O jogo O placar de 5 a 0 não conta toda a história do jogo. No primeiro tempo, o PAFC teve dificuldades e poderia, inclusive, ter ido para o intervalo em desvantagem. Não foi graças ao belo desempenho do goleiro Leandrão.

Empurrado pela torcida, o PAFC foi para cima do Minas Boca, mas criava pouco e pecava nas transições de jogada, o que acabou dando várias oportunidades para os visitantes. Os erros de passe do Pousão se transformaram em triangulações rápidas e perigosas do Minas Boca.

Em ao menos três jogadas o camisa 7, Italo, e o 10, Davidson, precisaram ser parados por Leandrão, que mostrou segurança para espalmar para a linha lateral um belo chute cruzado de Italo na metade final do primeiro tempo. A dupla de ataque conseguiu entrar nas costas da defesa do Dragão algumas vezes. Uma delas na bola espalmada por Leandrão. Em outra oportunidade, Davidison errou a meta. O susto deixou a torcida apreensiva.

De seu lado, o PAFC criava pouco, mas conseguia abafar o adversário e fazer alguma pressão. As melhores oportunidades vieram de bolas cruzadas na área e chutes de média distância. A cada tentativa, a torcida vibrava, empurrava. Se o empate da primeira etapa se deveu a grandes defesas de Leandrão, a torcida atuou como 12º jogador para empurrar o ataque pouco criativo.

Abafa funciona no segundo tempo O abafa do Pousão se intensificou no segundo tempo. Mas, dessa vez, ele foi acompanhado da criação de jogadas mais trabalhadas. Em uma delas, Alemão abriu o placar depois de mais uma bola cruzada na área.

O Dragão seguiu sem dar trégua para o adversário. Depois de 15 minutos jogados no segundo tempo, o clube ainda marcava o adversário sob pressão. Encurralado e envolvido pelo Pousão, o Minas Boca levou o segundo, após nova bola cruzada na área e uma blitz do ataque do PAFC que chegou com três em condições de marcar. Foi Pedrinho quem empurrou a bola para o fundo da rede.

Naturalmente, a pressão diminui a partir dos 20 minutos, mas o PAFC mantinha o jogo sob absoluto controle. O Minas Boca errava passes em série e mal passava da intermediária, mesmo sem ser pressionado. Depois de levar perigo no primeiro tempo, Davidson não conseguiu criar praticamente nada na segunda etapa. A defesa conseguia desarmá-lo com facilidade.

A fatura parecia liquidada, mas o Pousão queria mais. Daí em diante, Pedrinho virou garçom. O 9 do Pousão soube explorar com maestria o enorme corredor deixado pelo Minas Boca pela esquerda do ataque. Em uma jogada rápida ele correu pelo fundo da grande área e passou para Clebson, na marca do pênalti, concluir com competência.

A torcida já comemorava o resultado do jogo, quando Pedrinho, aos 47 minutos, teve tempo para mais uma vez cair pela esquerda e, desta vez, encontrar Rafael. Foi o último lance do jogo. A goleada lavou a alma da torcida. A equipe foi ao centro do campo agradecer o público e deixou o gramado sob aplausos.

Torcida faz a festa A última derrota não chegou a afetar a torcida do Dragão. O público voltou a comparecer em peso ao Manduzão neste sábado. Foram 4,7 mil pagantes e renda de R$ 51,1 mil. Com cantos, gritos, vaias para o juiz e o time adversário, os torcedores fizeram muito barulho para empurrar o PAFC. Quando Clebson marcou o terceiro gol da partida, aos 24 minutos do segundo tempo, não deu para segurar, a torcida gritou 'olé'. E assim foi até os aplausos no final do confronto.

Próximo jogo

Embalado pela goleada, o Dragão volta a campo contra a equipe de Passos no próximo sábado (1º). Desta vez vai a Divinópolis, onde joga no 'Farião' partida válida pela 6ª rodada da competição. Mesmo fora de casa, chega com favoritismo, já que vai enfrentar o lanterninha da Segundona até aqui.

Em tempo: o autor do 1º gol do PAFC foi o camisa 8 Hemerson, o 'Alemão'. A informação já ffoi corrigida no texto.

#Esporte

Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com