Liberados suspeitos de participação em ataque a banco de Pouso Alegre


Policiais não confirmaram participação do trio preso na zona rural de Mogi Guaçu (SP) no ataque ocorrido na madrugada desta segunda. Chegou-se a suspeitar que eles tivessem apoiado indiretamente a ação da quadrilha que agiu na cidade

Suspeitos de participação no ataque a banco em Pouso Alegre foram liberados. Autoridades não encontraram indícios da ligação deles com o crime ocorrido na madrugada desta segunda (20)

Foram liberados os três suspeitos de participação no ataque a banco ocorrido na madrugada de ontem (21), em Pouso Alegre. Os homens foram detidos na zona rural de Mogi Guaçu, no interior de São Paulo, na tarde de segunda-feira. A abordagem ao trio se deu depois do alerta emitido pelas autoridades mineiras na divisa entre os estados de Minas e São Paulo.

Leia também:

>> O dia em que Pouso Alegre virou uma praça de guerra

>> Engenheiro é preso 1,1 mil comprimidos de ecstasy

>> Detidos em Mogi Guaçu (SP) três suspeitos de participação no ataque à banco de Pouso Alegre

Os bandidos que atacaram a agência bancária em Pouso Alegre foram perseguidos pelos policiais até a cidade de Itapira e Espírito Santo do Pinhal (SP). A partir daí, foi perdido o contato visual das autoridades com a quadrilha. Neste momento, as forças de segurança da divisa entre os dois estados deram início à varredura.

Veja o momento em que a GCM chega ao trio:

Quem chegou até o trio foi a Guarda Civil Municipal de Mogi Guaçu. As suspeitas sobre os homens começaram quando os agentes da GCM, durante o patrulhamento, descobriram que dois veículos sob o poder dos suspeitos apresentavam fortes indícios de serem clonados. Eles fora apreendidos.

Com as suspeitas em torno dos automóveis, os homens foram presos pelos guardas. A partir daí, surgiu também a suspeita da participação do trio no ataque ocorrido em Pouso Alegre.

Policiais de Pouso Alegre seguiram para Mogi Guaçu a fim de apurar as suspeitas. “Foram encontrados com eles, dois veículos com placas clonadas, sendo um deles com placas de Belo Horizonte. Os automóveis encontrados com eles não participaram diretamente, pode ser que os criminosos tiveram participação indireta”, explicou o coronel Oterson Luis Nocelli em entrevista ao portal Pouso Alegre.net.

A versão dada pelo trio

Um dos homens detidos afirmou no depoimento tomado na Centra de Polícia Judiciária de Mogi Guaçu que era morador da chácara onde ocorreram as prisões. Os outros dois homens seriam amigos, que estavam na cidade a negócios. Comerciantes, eles seriam de Foz do Iguaçu, no Paraná.

As autoridades não conseguiram comprovar a origem ilícita dos veículos e nem chegar a qualquer indício da participação do trio no ataque ocorrido em Pouso Alegre e os três homens foram liberados. Apesar disso, as digitais dos três foram colhidas para cruzamento posterior com aquelas encontradas na cena do crime.

#DiaaDia #Cidade

Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com