• Adevanir Vaz

Projeto de lei proíbe canudos de plástico em Pouso Alegre em até um ano


Canudinhos de plastico levam até 300 anos para se decompor na natureza (PxHere)

Pouso Alegre deve declarar guerra a um utensílio aparentemente inofensivo cujo uso banal, cotidiano e em grande quantidade causa estrago considerável ao meio ambiente. Trata-se do insuspeito canudinho de plástico. Projeto de lei, de autoria do vereador André Prado (PV), aprovado em última votação na Câmara de Vereadores esta semana, prevê que o canudinho de plástico não biodegradável terá seu uso proibido no município em até um ano. O prazo começa a contar a partir da sanção do projeto pelo Executivo municipal.

Leia também:

>> PRF intercepta estelionatários paulistas que deram prejuízo de R$ 100 mil a comerciante mineira

>> Religiosidade: a marcante celebração de Corpus Christi em Borda da Mata

Pode parecer muito barulho por pouca coisa, mas não é à toa que o canudinho já foi proibido em dezenas de países e é alvo de campanhas permanentes de organismos de proteção ao meio ambiente, que pregam seu banimento. A conta que os ambientalistas fazem é simples: depois de sacado para uso na ingestão de uma bebida qualquer, o canudinho tem uma curtíssima vida útil média de 3 minutos, mas, uma vez descartado na natureza, ele levará pelo menos 300 anos para se decompor.

Seus danos são ainda mais nefastos quando chega ao oceano. Pequeno, o canudinho acaba ingerido por peixes, tartarugas e aves, tornando-se causa frequente de mortandade da fauna marinha, uma das mais ameaçadas pelo descarte descontrolado do lixo humano.

Canudos biodegradáveis

O banimento do canudinho de plástico em Pouso Alegre não significa necessariamente que eles vão desaparecer dos estabelecimentos comerciais da cidade. A proibição vale apenas para aqueles feitos de plástico não biodegradável (que se decompõe de forma relativamente rápida no meio ambiente e não geram resíduos tóxicos).

O mercado já oferece uma versão biodegradável a preços competitivos e há ainda a opção de usar canudinhos de outros materiais, como papel, embora esta seja uma opção mais cara. O mais provável é que a mudança nem ao menos seja percebida pelos usuários. Será, no entanto, uma gota a menos no oceano de imundice produzido pela humanidade.

O que muda:

>> No prazo de um ano, após a publicação da lei, fica proibida a utilização e distribuição gratuita ou onerosa de canudos de plástico de polipropileno, poliestireno e qualquer outro material que não seja oxi-biodegradável no comércio do município de Pouso Alegre.

>> Não há qualquer proibição para canudinhos de papel ou oxi biodegradáveis

>> Confira a íntegra do projeto de lei

Canudos de plástico biodegradáveis serão alternativa ao canudinho convencional (PxHere)

#Política

Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com