Conta de água terá aumento de 11,6% para consumidores residenciais


Conta de água vai ficar mais cara a partir de agosto para os clientes da Copasa - Foto: ilustração

Consumidores cujas casas são atendidas pela Companhia de Água e Esgoto de Minas Gerais, a Copasa, terão suas contas de água reajustadas em 11,6%. O aumento passa a valer a partir de agosto e foi autorizado pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsae-MG).

O aumento médio ficará em 8,38%, praticamente o dobro do praticado em 2018, quando o reajuste foi de 4,31%. Na mesma medida, o índice também se aproxima do dobro da inflação que, segundo o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), acumula alta de 4,66% nos últimos 12 meses encerrados em maio.

Segundo informações prévias da Arsae, a conta de um usuário residencial com água, coleta e tratamento de esgoto que consomem 10 mil litros mensais passará de R$ 72,93 para R$ 81,41. Esses R$ 8,48 a mais correspondem a um aumento de 11,6%.

Os moradores com o mesmo perfil de consumo, mas cadastrados na Tarifa Social, que pagavam R$ 34,95, terão fatura mensal de R$ 38,98, o que representa um impacto 55% menor em relação aos usuários que pagam a tarifa residencial normal.

Por meio de nota, a agência explica que considera o impacto da inflação nos mais variados custos do prestador de serviços, como energia elétrica, combustíveis e gastos com pessoal, por exemplo. Essa projeção usualmente é feita com base na inflação observada nos últimos 12 meses.

Copasa na berlinda em Pouso Alegre

A Copasa é alvo de uma série de denúncias ações judiciais em Pouso Alegre. Até o momento, porém, a companhia tem contado com a parcimônia judicial. Em maio, a 2ª Vara Cível de Pouso Alegre negou a suspensão da taxa de esgoto na cidade.

A reivindicação havia sido feita pela prefeitura do município, por meio de um pedido liminar, um mês antes, alegando que a empresa não trata a totalidade do esgoto na cidade, não lhe cabendo cobrar um serviço que não presta.

Apesar de não ter atendido a suspensão, a justiça atendeu parte do pedido liminar do município e deu até 120 dias, a partir daquela data, para que a Copasa adeque seus sistemas de coleta e tratamento de esgoto na cidade, sob pena de multa diária de R$ 7 mil.

O prefeito Rafael Simões avaliou a decisão da justiça como favorável ao município, mas anunciou que deve recorrer da decisão quanto à não suspensão da taxa de esgoto. Em entrevista dada em maio, ele disse: "está declarada guerra à companhia", confira:

#Mercado #DiaaDia

Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com