Encontro de saberes e sabores: Simpósio de Nutrição e Gastronomia


Uma relação mais fiel que casamento, uma irmandade. Nutrição e Gastronomia andam de mãos dadas e almas interligadas.

Pensando nisso, a coordenação dos cursos de Nutrição e Gastronomia da Univás realizou em setembro o seu 4* Simpósio, que contou com várias palestras e aulas show.

Este ano, o Simpósio homenageou a Professora Andreia Tiengo, coordenadora do curso de Nutrição. Ela ressaltou o momento importante para sua vida e para o curso:

“Este ano, o nosso IV Simpósio trouxe o meu nome, que honra. Um simpósio que este ano trouxe como lema “Alimentar o saber”, que é o maior objetivo e o maior desafio da docência. Maior objetivo porque a gama de informações disponíveis hoje, em decorrência da tecnologia, dificulta a propagação de conhecimento pautado em fundamentos científicos", alertou.

Para a professora, o simpósio é uma oportunidade de agregar conhecimento e discutir o que há de mais atual no mundo científico. "Buscamos agregar conhecimento ao cotidiano dos nossos alunos através do que existe de mais atual no mundo científico. Conseguimos através de dois cursos, a nutrição e a gastronomia, trabalhar com um dos bens mais preciosos do ser humano que é o alimento", considera.

A palestra de abertura foi realizada pelo empresário e sócio proprietário da Max Bom Sorvetes, empresa que produz o conhecido sorvete 'Ice Bom'. André contou a história de sucesso de sua empresa e como ele iniciou. ainda com 15 anos de idade, o caminho que o tornou uma das grandes referências empreendedoras da cidade.

Juntamente com seus irmãos, André destacou a importância de se acreditar em produtos de qualidade e sempre estar atento às inovações. Hoje a Ice Bom gera mais de 1 mil empregos diretos e indiretos. Para finalizar o dia, a professora Micheli Costa elaborou o coquetel Morena Morango com picolé da Ice Bom.

O curso de Nutrição trouxe debates importantes, como: transtornos alimentares, nutrição esportiva para corredores de alta performance, esportiva para veganos, marketing entre outros.

A importância de se ter uma semana de encontros de saberes, sabores, querências e sentimentos gustativos reforçaram a realização do Simpósio. Carol Brasil, coordenadora Gastronomia ressalta que “o simpósio é uma Forma de atualizar os acadêmicos com o que há de mais novo na ciência e tecnologia da alimentação. A realização de eventos científicos fortalece o meio acadêmico Esses eventos buscam trazer para a academia uma maneira mais abrangente de compreender a importância dos estudos, da pesquisa e da ciência baseada em evidências", avalia.

Andreia Tiengo também comentou esta relação: “são dois cursos que possuem uma integração única, pois o ato de alimentar-se faz parte da vida, traz à tona sentimentos, marcam momentos de união e datas especiais entre famílias, amigos. Une pessoas. Trabalhar a nutrição e a gastronomia é um ato de amor com o ser humano, é SER humano trabalhando com um mundo vasto de sabores, cores e nutrientes", discorre.

Paulo Freire já dizia que a educação é uma troca de conhecimentos entre educando e educador. Foi nesta pegada de trocas de conhecimento que os palestrantes interagiram e apresentaram suas técnicas de manejo, cocção, cortes e segredos em marinadas e temperos.

André Junqueira, do 4* perdido de Gastronomia, avaliou o Simpósio de forma muito positiva: “conhecemos profissionais de qualidade, compromissados com a gastronomia. Uma experiência muito válida para profissionais que estão em formação. A gastronomia só tem a ganhar com a realização de eventos como este", considerou.

Carla Patrícia se encantou com a palestra do Chef Luiz Felipe Jacob. "Nos trouxe um conteúdo muito rico. Muito além das técnicas, ele nos trouxe sua grande experiência em diversas cozinhas e ensinamentos, como generosidade, empenho e dedicação. Acredito que para quem ainda não tem a vivência de uma cozinha profissional, é uma oportunidade de obter esses conhecimentos através do que ele nos passou", disse.

Ela ainda enumera outras lições aprendidas com o chef: "Mostrou-nos a importância da gestão, planejamento e organização. E para finalizar, ressaltou que devemos voltar nossa atenção para pratos que com o tempo tem se perdido. E fazer esse resgate, dando o devido crédito que essas riquezas merecem. Com essa iniciativa podemos transformar pratos que representam nossa cultura em Patrimônio Imaterial", conclui. Falando sobre patrimônio imaterial, Minas Gerais e culinária, Carol Brasil comenta que “enquanto curso de nutrição, sempre incentivamos nossos alunos a respeitar a culinária local, pois isso fortalece e estimula os hábitos alimentares. Claro que com parcimônia, pois sabemos o quanto a nossa culinária pode ser altamente calórica. Mas, talvez, seja isso que a deixe tão especial. Já na gastronomia, valorizar o que é regional e magnífico. Imagina você aprender as técnicas de uma cozinha que seus avós dominavam?".

E quando falamos em Minas, falamos de simplicidade e riquezas e entre trocas de receitas e temperos, uma conversa bacana com o Prof Avner sobre valorizar mais a cultura gastronômica do Sul de Minas despertou um antigo desejo, cadastrar e catalogar a gastronomia da nossa região e assim como uma frente Sul Mineira de valorização das nossas riquezas

E, voltando a falar em avó, a minha já dizia que comida é a poesia do estômago, você não precisa dizer uma palavra, mas servir um caldinho num dia frio pra aquecer, uma galinha caipira com quiabo pra comemorar a vitória e um bolo de fubá pra fazer as pazes. Isso é Minas. Aí, me lembrei desta canção de almas do Patu Fu, e assim encerro a prosa de hoje.

“...Busquei felicidade Encontrei foi Maria Ela, pinga e farinha E eu sentindo alegria Café tá quente no fogo Barriga não tá vazia Quanto mais simplicidade Melhor o nascer do dia.”

#DedodeProsa

Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com