Clínica diz que dentista não apresentou sintomas e se isolou quando testou positivo para covid-19




A clínica interditada em Pouso Alegre por conta de dois dentistas que teriam furado a quarentena se manifestou por meio de nota. A Abrange Odontologia e Saúde pertence ao casal Gustavo de Souza Carvalho e Maria Cândido Sampaio, profissionais que teriam desobedecido as recomendações dos órgãos de saúde.




Leia também:


- Clínica é interditada após dentista com suspeita de covid-19 romper quarentena

- Mais uma clínica de dentistas que descumpriram quarentena por covid-19 é interditada




A Vigilânia Sanitária de Pouso Alegre recebeu denúncias de que a dentista Maria Cândido testou positivo para a covid-19 e, seu esposo, Gustavo Souza, era considerado caso suspeito, mas, ainda assim, seguiram atendendo pacientes em clinícas de Pouso Alegre e Santa Rita do Sapucaí.


A clínica nega que os dentistas tenham sido orientados a seguir isolamento e afirma que a dentista que testou positivo para a doença fez o teste por conta própria. A nota ainda afirma que a dentista não teve sintomas e que colheu o material para exame por pertencer ao "grupo vulnerável à contaminação, mesmo não tendo nenhum sintoma da covid-19". A afirmação contraria o informado pelas autoridades de saúde. Segunda elas, a dentista manifestou sintomas no dia 11 de abril.


Leia a íntegra da nota:


Abrange Odontologia vem a público esclarecer os fatos publicados pela imprensa na tarde do dia 17 de abril de 2020.  

Foi divulgado pela mídia que uma Dentista da Clínica Abrange havia sido “testada positivo” para a Covid 19, e que mesmo tendo sido notificada para permanecer em isolamento social continuou prestando atendimento aos pacientes na clínica, colocando todos em risco de contaminação.  

Na verdade, a Dentista, profissional da Saúde, e por esse motivo pertencente a grupo vulnerável à contaminação, mesmo não tendo nenhum sintoma da Covid 19, exatamente para proteger seus pacientes e familiares, decidiu, por conta própria, realizar o Exame em laboratório particular. O material para o exame foi coletado no dia 14, terça feira e o resultado foi comunicado na sexta feira dia 17 ás 13h30min.  

No momento em que foi comunicada do resultado pelo laboratório, a Dentista iniciou o isolamento, não tendo mais retornado ao consultório.  

Os pacientes agendados para à tarde do dia 17 que não conseguiram ter a consulta desmarcada foram atendidos por outros profissionais.  

Diferente do que foi divulgado pela impressa, a dentista em momento algum foi notificada ou orientada a fazer isolamento social antes do resultado do exame.  

Todos os procedimentos realizados na Abrange seguem os mais altos padrões de biossegurança, procurando sempre preservar a segurança dos pacientes e profissionais. 



Leia a nota divulgada ela Vigilância Sanitária de Pouso Alegre:



Nota técnica - Interdição Clínica Odontológica

A Prefeitura Municipal de Pouso Alegre informa que, a interdição da Clínica Odontológica foi feita após denúncia à Vigilância Epidemiológica / Sanitária, de que um profissional dentista do estabelecimento com suspeita do novo coronavírus estava realizando atendimentos eletivos, em descumprimento a Nota Técnica COES MINAS COVID-19 Nº 11/2020 - 24/03/2020, que orienta em relação ao Atendimento Odontológico no Cenário de Enfrentamento da Doença do Coronavírus (COVID-19). 

A Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Saúde tem o compromisso com a população de evitar a disseminação da doença pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), promovendo a prevenção e aumentando a capacidade de resposta do Município no enfrentamento do novo Coronavírus, visando reduzir a incidência e a interrupção da transmissão local.

Conselho Regional também se posiciona

O Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais também se pronunciou a respeito do caso. De acordo com o órgão, "sua equipe de Fiscalização está acompanhando os fatos recentes ocorridos na cidade de Pouso Alegre/MG e Santa Rita do Sapucaí/MG, juntamente com as autoridades locais".


Ainda de acordo com o conselho, o profissional que desrespeitar as normas dos órgãos de saúde estão sujeitos às penalidades disciplinares éticas graves, que prevê desde advertência até a cassação do exercício profissional, conforme prevê o artigo 18 da Lei 4.364 de 1964.


Confira a íntegra da nota:

Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com