Minas vai retomar atividades em três etapas e adesão dos municípios é opcional

Atividades econômicas foram divididas em grupos, conforme seu impacto econômico e de risco epidemiológico. A cada etapa será feito um estudo de avaliação de risco para partir para a liberação do grupo de atividades seguinte


Retomada das atividades econômicas terá acompanhamento de dados para orientar tomada de deisão em Minas - Foto: Agência Minas

Minas Gerais se prepara para a retomada das atividades econômicas nas próximas semanas. Não há um prazo específico para volta de todos os setores, mas espera-se que isso ocorra ao longo das próximas semanas, com a retomada por grupo de segmentos, conforme seu risco epidemiológico e impacto econômico. O programa ganhou o nome de 'Minas Consciente'.


Os setores de atividades foram divididos em quatro ondas. A primeira delas trata dos setores essenciais, que já estão em funcionamento. As outras três agrupam os setores de baixo (que ganhou a cor cinza), médio (amarelo) e alto risco (vermelho). Confira o planejamento detalhado nos slides a seguir:




De acordo com o governador Romeu Zema (NOVO), o plano de flexibilização do distanciamento terá acompanhamento constante. Os dados epidemiológicos vão orientar o processo durante todo o tempo. "Podemos acelerar, podemos manter e podemos recuar. Se considerarmos que está havendo um número grande de óbitos vamos intervir. Não é ficar assistindo não", disse na coletiva imprensa desta quinta-feira, 23.


Também de acordo com ele, a ideia é que o plano sirva de orientação às prefeituras, que pderão optar pela adesão, mas, caso sigam o processo sugerido pelo governo do estado, terão um protocolo técnico estruturado. Os protocolos estarão disponíveis para os municípios na próxima semana.


"Essa decisão é uma decisão que deve ser tomada pelos prefeitos e não por mim. O que estamos fazendo neste momento é dar mais segurança para este processo que já acontecia na maioria dos municípios mineiros", disse Zema.


UTIs com baixa ocupação

O governador voltou a falar nesta quinta-feira da baixa taxa de ocupação nas UTIs do estado. De acordo com ele, ao longo do mês de abril, apenas 3% desses leitos estiveram ocupados por pacientes com suspeita ou confirmação para a covid-19. Além disso, considerando todos os leitos, 50% das UTIs permanecem desocupados.


Zema pediu para que aqueles que puderam permaneçam em casa, mesmo após o afrouxamento do distancimento e pediu cuidado redobrado para as pessoas que pertencem ao grupo de risco.


Editado por Capitólio Ass. E. R. Públicas
Redação: (35) 3422-2653
redemoinho24@gmail.com
Comercial: (35) 99931-8701 | (35) 3422-2653
comercialredemoinho24@gmail.com